Buscar

Aracena e Minas de Rio Tinto



No fim-de-semana prolongado de 30 de Outubro a 1 de Novembro a Quimera foi a Aracena para fazer o reconhecimento da região. Ficamos alojados no Parque de Campismo El Madronhal, localizado na localidade de Fuenteheridos, a 14 km de Aracena e no meio de um lindíssimo bosque de castanheiros, em plena Sierra de Aracena e Picos de Aroche.


O Camping El Madronhal tem espaço para tendas e caravanas, com água potável e electricidade; bungalows e casas rurais totalmente equipadas. Nós ficamos num bungallow muito simpático, que parecia uma cabana. É ideal para quem aprecia a simplicidade e estar imerso na natureza.


A altura em fomos não podia ter sido melhor escolhida, com as cores de outono nas árvores e os castanheiros cheios de castanhas. Apesar de ter chovido bastante nesses dias, passamos bons momentos a beber uma bebida quente à lareira no bar do parque. Na noite de Halloween, um grupo de crianças mascaradas bateram-nos à porta a pedir doces, como não tínhamos doces demos-lhe umas barras de cereais, uns sumos de frutas e umas clementinas.



Nesta viagem o nosso objectivo era visitar o Parque Mineiro de Rio Tinto e a Gruta das Maravilhas em Aracena. No entanto decidimos voltar um dia e fazer alguns dos trilhos que encontramos na zona.



Parque Mineiro de Rio Tinto


Em Rio Tinto a paisagem foi fortemente modelada pela acção humana. A mineração tem aqui uma história de 5000 anos. A Revista National Geographic considerou o Rio Tinto o lugar mais parecido a Marte na Terra, a par com o deserto de Atacama, no Chile. De facto, vários cientistas e investigadores estão a estudar este ambiente, de elevada acidez e escasso oxigénio, e que se assemelha ao do planeta Marte, para responder à pergunta: Se existe vida em Rio Tinto, também poderá existir no Planeta Vermelho?


Rio Tinto fica localizado na província de Huelva, na Andaluzia, um pouco mais a sul da Sierra de Aracena. A cidade de Rio Tinto recebeu o nome do rio que lá corre, e que é vermelho, como o vinho. Já tínhamos visitado anteriormente as Minas de São Domingos, em Mértola, e encontramos bastantes semelhanças, como o Bairro Inglês, só que numa maior escala. Este projeto de Turismo foi implementado pela Fundation Rio Tinto.



O Parque Mineiro de Rio Tinto, aberto ao público desde 1992, oferece vários pontos de visita:


- Museu Mineiro “Ernest Lluch”


Localizado num antigo hospital, aqui poderá conhecer a história da mineração em Rio Tinto e encontrar elementos ferroviários, ferramentas mineiras, arqueologia histórica e uma impressionante recriação de uma mina romana.



- Mina Peña de Hierro


Aqui podemos entrar numa mina verdadeira. Equipados de capacetes percorremos uma galeria mineira até chegarmos à mina a céu aberto da Peña de Hierro, onde nasce o Rio Tinto. Além desta visita existe no local um Centro de Interpretação e uma sala onde podemos visionar um filme sobre as Minas de Rio Tinto.



- Ferrocarril Mineiro


A viagem neste comboio mineiro recuperado é a melhor forma de conhecer esta paisagem desolada, à qual foi atribuída a designação “Marte en la Tierra” pela comunidade científica e que tem sido procurada por vários cineastas e produtores para filmagens. A viagem de comboio é guiada, em espanhol e tem uma paragem a meio onde podemos nos aproximar do Rio Tinto e tirar algumas fotos. A viagem de comboio tem cerca de 12 km.



- Mina Corta Atalaya


Esta é, sem dúvida, a mais impressionante mina a céu aberto do parque, e maior de toda a Europa. A visita a esta mina também é guiada em língua espanhola.



- Casa 21, Bairro Inglês


Esta casa victoriana permite ao visitante conhecer a vida de uma família britânica de um engenheiro da Riotinto Company Limited. É uma vivenda de 3 andares, construída em 1885 e reconstruída em 2013. Muitos engenheiros britânicos vieram trabalhar nas minas e viver na Andaluzia com as suas famílias, criando um pequeno microcosmos de Inglaterra no bairro inglês.



Visitar o Parque Mineiro de Rio Tinto


Reserve um dia inteiro para visitar o Parque Mineiro de Rio Tinto, pois existem muitas actividades. Pode comprar as entradas no site https://parquemineroderiotinto.es/. Existem vários tipos de bilhete consoante as atracções a visitar, que tem os seus próprios horários. Na recepção, o pessoal do parque fornece todas as informações necessárias. A deslocação para as várias atracções é feita nas nossas viaturas. Nós aconselhamos começar pelo Museu onde poderá ter uma perspectiva geral sobre a história da região.


Existem vários restaurantes para almoçar em Rio Tinto:

- Restaurante Casa Idolina, localizado em Nerva numa antiga estação rodoviária.

- Restaurante La Fábrica

- Restaurante Marobal

- Restaurante Época

- Restaurante Gálan


El Tren de La Luna


Além das visitas normais, o Parque Mineiro de Rio Tinto oferece aos seus visitantes também uma experiência única que consiste numa viagem de comboio ao pôr-do-sol e com regresso à noite, onde os visitantes podem desfrutar das matizes cromáticas e das vistas para o rio iluminadas pela lua. É uma experiência muito procurada no Verão sobretudo pelos apaixonados pela fotografia.



Aracena


Aracena é uma típica cidade andaluza, com uma variada oferta turística gastronómica, uma arquitetura tradicional e um interessante património histórico-artístico e natural. As principais atrações são a Gruta das Maravilhas, o Cerro do Castelo, onde se podem encontrar as ruínas das antigas fortificações e a Iglesia de Nuestra Señora del Mayor Dolor, e o Museu do Presunto. Existem outros pontos de interesse como a Plaza San Pedro com o Museu de Arte contemporânea ao ar livre, o centro de visitantes do Cabildo Viejo e Igreja Santa María de la Asunción.





História


Os portugueses expulsaram os mouros de Aracena em 1251 e entregaram depois a cidade aos castelhanos. Na Idade Média, foi palco de conflitos fronteiriços entre Portugal e Espanha. A fortaleza de Aracena faz parte de um conjunto de fortalezas da Banda Galega, uma linha defensiva que defendia a fronteira de Leão dos portugueses. Erigida no reinado do Rei Sancho IV, recebeu este nome por a região ter sido repovoada pelos galegos, após a sua conquista.


Gastronomia


O principal produto gastronómico desta região é o presunto de pata negra ou presunto ibérico. O porco preto ibérico é criado essencialmente em regime de pastoreio de ar livre, no montado de sobreiros e azinheiras. Além dos presuntos, os restaurantes locais servem outras iguarias, tal como os cogumelos sazonais, os gaspachos de invierno e as carnes de porco.

A recoleção de cogumelos selvagens é uma tradição da Serra de Aracena que se realiza nas primeiras chuvas de Outono. As espécies mais emblemáticas são os gallipiernos, tanas, tentullos, níscalos e os gurumelos (Amanita Ponderosa), o cogumelo por excelência desta zona.



Gruta das Maravilhas


A Gruta das Maravilhas é uma gruta localizada por baixo do centro cidade de Aracena, no interior da colina coroada pelo Castelo Medieval e Igreja de Nuestra Señora de Mayor Dolor. Foi a maior gruta que visitamos até hoje, tem ao todo 2130m de profundidade, mas só temos acesso a 1400m.


De acordo com uma lenda popular, a Gruta das Maravilhas foi encontrada por um pastor. Quando uma das suas ovelhas se separou do rebanho, ele foi à sua procura e tropeçou na entrada da gruta. Outra teoria é que a gruta foi descoberta devido a actividades de prospecção mineira. O primeiro registo encontrado sobre a gruta é de 1850 mas esta só abriu ao público em 1914. No interior da gruta foi colocada iluminação e escadas de modo a tornar a visita segura para o público. Foi a pioneira em turismo subterrâneo.


Trata-se de um lençol freático, cujas enormes galerias foram esculpidas pela acção erosiva das águas na pedra calcária. Este processo de carsificação dura há milhares de anos e a caverna está em constante formação e transformação devido ao gotejamento e processos de sedimentação e cristalização dos minerais dissolvidos na água.


As formações rochosas existentes no interior da gruta (espeleotemas) apresentam uma grande variedade: desde estalactites e estalagmites, colunas, cortinas, coralóides, gours, entre outros.


Uma das características mais marcantes desta gruta são os lagos de cor azul-turquesa e de água transparente que nos transportam para um mundo mágico ou universo de ficção científica.


A temperatura no interior da gruta varia entre os 16º e os 19º e uma humidade relativa no ar de 98%.

A visita guiada dura cerca de 50 minutos num circuito de 1km, circular. A visita inclui dois dos três níveis da gruta. O 3º nível está fechado pois é uma área protegida usada para investigação geológica.

No segundo nível a visita torna-se ainda mais deslumbrante com os gours e as formações rochosas submersas nos lagos.


O circuito passa pelas seguintes salas:

- Câmara das Conchas

- Os Brilhantes

- O Grande Salão – Amplo salão com 50m e um lago com profundidade de 11m.

- A Catedral – marca a passagem para o segundo nível. Tem a maior coluna de toda a gruta.

- O Vulcão

- Banho da Sultana

- A Cristaleira de Deus

- O Lago Esmeralda

- A Câmara dos “Garbanzos” – pequenas formações rochosas semelhantes a grão-de-bico nas paredes indicam que esta galeria esteve em tempos submersa.

- A Galeria dos Nús


No interior da gruta não é permitido tirar fotografias, o que geralmente deixa os turistas bastante frustrados. Confesso que também nos sentimos assim na visita pois queríamos partilhar a beleza que vimos convosco e deixar umas fotos bonitas aqui no blog.


A Quimera vai realizar uma viagem ao Parque Mineiro de Rio Tinto e a Aracena, com visita à Gruta das Maravilhas no fim-de-semana de 12 e 13 de Fevereiro (Mais informações aqui.).


Serra de Aracena


Localizada a norte de Huelva, a Serra de Aracena é um local excelente para a pratica do pedestrianismo. É uma serra com declives suaves (os picos mais altos têm 1000m de altitude), bosques frondosos de elevado valor ecológico, uma rede de rios e ribeiras e muitos exemplares de arquitetura fluvial como moinhos, açudes e fontes. É uma das áreas florestais mais extensas e melhor conservadas da região mediterrânica. As espécies mais abundantes são os sobreiros e as azinheiras, porém, na zona central, mais elevada e húmida, abundam os castanheiros centenários. Esta serra é também habitat de muitas espécies de aves de rapina e é comum ver milhafres, águias reais, águias calçadas e abutres negros a planar nos céus. Nos cursos de água podemos encontrar anfíbios, salamandras e tritões. Recomendamos definitivamente uma visita a esta zona que conserva um modo de vida tradicional e em comunhão com a Natureza.






301 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Gibraltar

 
Reserve Agora Reserve Agora