Search
  • Catarina Araújo

Gibraltar

No final do ano 2019, sem imaginarmos o que nos esperava, organizamos uma viagem de reconhecimento a Gibraltar, Algeciras e Tarifa.



Gibraltar, apesar de ser um território com apenas 7 km2 , tem uma posição geográfica estratégica, que permite controlar o tráfego do Mediterrâneo. Por essa razão, este pequeno território sempre foi disputado por vários povos ao longo da história. Em 1713, com o Tratado de Utrecht, a Espanha concedeu este território ao Reino Unido e ainda hoje é um Território Britânico Ultramarino.


O Estreito de Gibraltar liga o Oceano Atlântico ao Mar Mediterrâneo e separa os continentes da Europa e da África por uma distância de 13 km. Gibraltar, conhecido como “The Rock”, é um dos Pilares de Hércules, ou Colunas de Hércules, sendo parte de uma lenda que remonta à Mitologia Grega. Hércules, nos seus 12 trabalhos, tinha de abrir espaço para passar este estreito marítimo e assim uniu o Mar Mediterrâneo ao Oceano Atlântico. Do lado de África, temos o outro pilar, em Ceuta, no Jebel Musa. A história geológica, contudo, diz-nos que este estreito foi aberto há cerca de 5 milhões de anos, como resultado da divisão de duas placas teutónicas, a Placa Euro-asiática e a Placa Africana.


Gibraltar recebe diariamente muitos turistas, para visitar a Reserva Natural Upper Rock, sendo a população de macacos uma das principais atrações turísticas.


Mapa de Gibraltar

Como chegar a Gibraltar


É possível entrar em Gibraltar por terra, ar e mar. Nós ficamos alojados em Algeciras, portanto viemos de carrinha até La Linea de La Concepcion, cidade que faz fronteira com Gibraltar. Deixamos a carrinha num estacionamento pago mesmo próximo à fronteira. Caso pretenda entrar com o seu carro carro em Gibraltar, repare que a condução é feita pela direita.


Neste momento não existem restrições à entrada de Gibraltar, quer se tenha a vacina contra a covid19 ou não. Não é necessária a apresentação de testes negativos, nem exigida quarentena.


Após o Brexit, a Espanha, a União Europeia e o Reino Unido, têm estado em negociações sobre o território de Gibraltar, que quer manter a soberania britânica, mas pretende-se manter no Espaço Schengen. Assim, não será necessária a apresentação de passaporte, apenas o cartão de cidadão.


Há uma expressão muito conhecida em Gibraltar, que diz o seguinte: “British we are, British we stay, but Spanish we speak all day.” O Yanito é um dialecto local, não oficial, mas bastante conhecido entre os habitantes de Gibraltar que mistura palavras inglesas, espanholas e italianas.


Quando se entra em Gibraltar a primeira coisa que temos que fazer é atravessar a pista do aeroporto. Literalmente temos que parar e deixar passar algum avião que esteja a aterrar ou descolar. A base aérea de Gibraltar foi construída durante a 2ª Guerra Mundial.



Se percorrer a Main Street, encontrará uma grande oferta de lojas de retalho, onde pode adquirir produtos sem pagar IVA, pois é uma zona livre.

A moeda local é a libra, mas os euros e os cartões de crédito também são aceites.



Reserva Natural Upper Rock


Para visitar a Reserva Natural Upper Rock existem várias opções: reservar um tour organizado, contratar um táxi, subir de teleférico ou ir a pé. A entrada de veículos não residentes na reserva não é permitida.


Existem várias entradas para a reserva, sendo a mais próxima, a que se faz pelo Castelo Mouro (Moorish Castle). Nós optamos por subir de teleférico, cuja estação se encontra junto aos Jardins da Alameda, no extremo sul da Main Street. Também existe lá um parque de estacionamento.


Para entrar na Reserva Natural Upper Rock, é necessário adquirir um bilhete que pode ser comprado na estação do teleférico. Porém, se forem comprados previamente on-line, pode-se evitar algum tempo nas filas de espera e tem-se direito a um shuttle gratuito desde a fronteira.


As vistas da estação superior do teleférico, a 412m acima do nível do mar, são simplesmente espetaculares! Dos três terraços, podem-se tirar fotografias fantásticas, com diferentes vistas para 2 continentes e 3 países. Nesta estação pode encontrar também um café, um restaurante e uma loja de souvenirs.



Esta área de Gibraltar foi oficialmente designada como reserva em 1993, num esforço para proteger a biodiversidade e habitats naturais de Gibraltar. Aqui existem inúmeras atrações para os visitantes, das quais vamos falar mais à frente. Podemos também encontrar muitos vestígios da Guarnição Inglesa que esteve presente nesta zona durante vários séculos.


Os Macacos de Gibraltar são os únicos macacos da Europa a viverem livremente. Normalmente, estes macacos são encontrados no Norte de África, mas a sua presença em Gibraltar já vem desde os primeiros tempos da presença inglesa em Gibraltar. Provavelmente foram trazidos de África e encontraram, nos rochedos calcários de Gibraltar, um habitat propício. Diz-se que, no dia em que os macacos desaparecerem, os ingleses devolvem o território de Gibraltar a Espanha. Outra lenda conta que os macacos vieram de Marrocos, através de um túnel que unia a Gruta de Saint Michael ao território marroquino.


Estes macacos vivem num estado semi-selvagem e demasiada interação com as pessoas é prejudicial. Podemos tirar fotografias, mas devemos manter a distância e ter atenção ao seu comportamento, que pode ser agressivo. Uma regra de ouro é nunca comer ao pé deles. Eu vi várias pessoas a serem atacadas pelos macacos para lhes roubarem a comida. Quando abri a minha mochila para retirar um mapa, um macaco apareceu do nada e roubou-me um pacote de bolachas! É necessário muito cuidado com as mochilas e, numa situação destas, não se deve resistir, se não quisermos levar uma mordida. Algumas pessoas alimentam os macacos de forma a conseguirem uma boa fotografia, mas isto é proibido. Não faça movimentos bruscos e não se coloque entre uma mãe e o seu filho.



Existem vários trilhos na Reserva Natural Upper Rock que, além das vistas magníficas, permitem-nos ir a locais fora dos circuitos habituais dos tours organizados. Foi criada uma rede de quatro trilhos temáticos, que intersetam uns com os outros em nós localizados nas principais atrações:


  • Nature Lover

  • HistoryBuff

  • Thrill Seeker

  • Monkey Trail


Foi criada também uma aplicação com informação sobre os trilhos e as atrações turísticas que pode ser descarregada para o seu smartphone.



O nosso circuito


Nós optamos por subir de teleférico até à estação superior, e fizemos parte do Monkey Trail e o Thrill Seeker. Passamos pela Skywalk, Gruta de Saint Michael, Mediterranean Steps e Ponte de Windsor. Terminamos na estação central do teleférico, passando pela Guarida dos Macacos (Ape’s Den), onde apanhamos o teleférico de regresso.



1. Skywalk


A Skywalk é uma plataforma e passadiço feito de vidro, com vistas magníficas a 360ª para o Mediterrâneo, África, Espanha e Gibraltar. Apesar de suportar o peso de 5 elefantes e 340 pessoas, só são permitidas 50 pessoas ao mesmo tempo.

A Skywalk foi inaugurada no dia 21 de Março de 2018, pelo ator da Guerra das Estrelas, Mark Hamill, que interpretou a personagem de Luke Skywalker.

2. Gruta de Saint Michael


A beleza desta gruta é excepcional, com as suas estalactites, stalagmites, colunas e cortinas.



Durante muitos anos acreditou-se que esta gruta não tinha fundo, por essa razão surgiu a lenda de que os macacos tinham vindo através de um túnel que ligava a gruta a África.


Durante a 2ª Grande Guerra, a gruta foi preparada para funcionar como um hospital, o que nunca chegou a acontecer. Desde os anos 60 que funciona como um auditório para teatro, espetáculos e concertos, com uma capacidade para 600 pessoas.



Enquanto a parte superior da gruta é conhecida há cerca de 2.000 anos, a parte inferior da Gruta de Saint Michael foi descoberta acidentalmente durante a II Guerra Mundial, em 1942, e inclui diversas câmaras que estavam fechadas à cerca de 20.000 anos. É possível organizar tours a esta parte da caverna. O lago interior é, sem dúvida, o ponto alto desta visita, que dura cerca de 3 a 4 horas e inclui alguma escalada e cordas.


Secção de uma estalagmite

3. Mediterranean Steps


O Mediterranean Steps é um percurso de natureza da parte superior da Reserva Natural Upper Rock e, sem dúvida, o mais espectacular. Grande parte do trilho está inserido no Sítio de Património Mundial da Unesco da Gorham’s Cave Complex.


O percurso percorre as extremidade sul do Rochedo, num zigzag de degraus escavados nas escarpadas falésias, passando por algumas baterias militares, assim como por duas grutas conhecidas como Goat’s Hair Twin Caves.


O caminho foi originalmente construído pelos militares britânicos, com o objectivo de permitir o acesso a diferentes postos na ponta Sul de Gibraltar. Em 2007 este trilho foi restaurado.


As espetaculares vistas para o estreito de Gibraltar e Mar Mediterrâneo tornam este percurso obrigatório, não sendo, porém, acessível a pessoas com reduzida mobilidade.




4. Ponte de Windsor


Esta é outra das atrações turísticas de Gibraltar que faz o gosto dos mais aventureiros. Se procura sentir sensações de adrenalina, percorra esta ponte de suspensão com 71 m de comprimento.



Outros locais de interesse histórico a visitar na Reserva Natural Upper Rock são os Great Siege Tunnels, o Castelo Mouro e o Cemitério Jew’s Gate.



7. Gorham’s Cave Complex


Esta área, localizada na zona este de Gibraltar desde o mar até à parte superior do Rochedo, é considerada Património Mundial da Unesco, desde 2016. Aqui, um grande complexo de grutas ao nível do mar alberga importantes testemunhos arqueológicos da ocupação pelo Homem de Neanderthal. As escavações arqueológicas provaram que Gibraltar foi o último refúgio do Homem de Neanderthal, há cerca de 32.000 anos. Neste local, foram feitas descobertas extraordinárias sobre a vida desta primeira linhagem humana, agora extinta, e que conviveu com o homem moderno, trazendo importantes contribuições ao estudo da evolução humana. Foi descoberto um crânio de uma mulher, antes da famosa descoberta no Neander Valley, na Alemanha, que deu o nome a esta espécie. Se a descoberta tivesse sido publicada, falariamos na Mulher de Gibraltar, em vez do Homem de Neanderthal.


Em 2017, foi aberta uma plataforma para observação deste complexo de grutas, localizada na Europa Advance Road. É possível reservar visitas às grutas com o Museu Nacional de Gibraltar.


As visitas de barco são outra alternativa para explorar estas grutas, além de permitirem a observação de várias espécies de aves e de golfinhos.

8. Ponta da Europa


A Ponta da Europa é o ponto mais a sul de Gibraltar e da Península Ibérica. Nos dias de céu limpo, é possível avistar o continente africano através do Estreito de Gibraltar.


Na Ponta da Europa, sugerimos que visite a Bateria Militar Harding, que foi restaurada; a Mesquita Ibrahim-Al-Ibrahim, o Santuário de Nossa Senhora da Europa, padroeira de Gibraltar; uma cisterna conhecida como o Nun’s Well, e o Farol Trinity, que data de 1841 e ergue-se a 49 m acima do nível do mar.


Vista sobre o Farol Trinity e a Ponta da Europa dos Mediterranean Steps

9. Observação de aves


Gibraltar, por ser um local de passagem de aves na sua migração entre a Europa e África, é um excelente local para observação de aves. As aves aproveitam a zona coberta de vegetação da reserva natural para fazerem uma paragem para descansar e se alimentarem durante algum tempo, antes de prosseguirem com a sua migração através do mar e do deserto.


Por ser um local tão importante para as aves migratórias, foi estabelecida em Gibraltar uma importante estação de anilharem de aves, que permite a recolha de dados sobre possíveis alterações nos padrões migratórios, e sobre as causas do declínio de algumas espécies que se tem verificado nos últimos anos.


Gibraltar é o único local da Europa onde reside a Perdiz Moura, não se sabendo se é uma espécie nativa, ou se foi introduzida pelo homem. Pode ser observada em áreas menos perturbadas pela presença humana.







0 views0 comments
 
Reserve Agora Reserve Agora